Share |

Bloco exige explicações sobre abate injustificado de árvores nas Taipas

A Coordenadora Concelhia de Guimarães do Bloco de Esquerda solicitou à Câmara Municipal de Guimarães a divulgação dos relatórios fitossanitários que justifiquem o abate de dezenas de árvores aparentemente saudáveis no centro da freguesia de Caldelas.

Este pedido de explicações surge na sequência da intervenção que visa a requalificação do centro da Vila das Taipas. Na manhã desta quarta-feira, dia 24, a população foi surpreendida pelo abate indiscriminado do arvoredo no Largo Frei Cristóvão dos Reis, Largo das Termas e na Avenida da República, acabando com a sombra e com o conforto que aquele espaço verde oferecia nos dias mais quentes.

O Bloco de Esquerda nunca se opôs à requalificação do centro da freguesia, mas sempre atento ao compromisso da Câmara e dos responsáveis pelo projeto em preservar a memória da vila e em conservar o património natural existente. No entanto, percebe-se agora que a preocupação com estes valores ficou na campanha eleitoral, onde o lema do Presidente da Câmara Domingos Bragança era "cidade verde" e o do Presidente da Junta Luís Soares era "vila jardim".

 

Lamentamos, por isso, o corte de dezenas de árvores aparentemente saudáveis e exigimos que o Partido Socialista revogue todas as decisões que vão no mesmo sentido sem que haja pleno esclarecimento do estado de conservação do arvoredo na freguesia.

Inclusivamente, porque não podemos continuar com cortes indiscriminados de árvores, com podas abusivas e com árvores desajustadas aos espaços onde se encontram, o Bloco de Esquerda apresentou, na Assembleia da República, um projeto de lei que cria um regime jurídico de proteção, conservação e fomento do arvoredo urbano.

A iniciativa, que será discutida a 8 de Abril, trata-se do Regime Jurídico da Proteção, Conservação e Fomento do Arvoredo Urbano, que cria os instrumentos de gestão necessários para proteger, conservar e fomentar o arvoredo urbano, determina a elaboração de inventários municipais e estabelece a criação de planos municipais para a proteção, conservação e fomento do arvoredo urbano.

Neste sentido, na próxima sessão da Assembleia Municipal de Guimarães, o Bloco vai propor a criação de um Regulamento do Arvoredo Urbano, onde constem as regras para intervenções nas árvores do município.

Consideramos que, numa estratégia de proteção das árvores dos espaços verdes urbanos, é mais importante uma boa ação preventiva, em vez de meios mais radicais, como o abate. Os problemas do coberto arbóreo urbano podem e devem ser prevenidos por adoção de boas práticas, não se limitando ao abate e substituição das árvores doentes e à plantação de novas, que demoram anos a ficarem adultas.

AnexoTamanho
projeto_de_lei_741-xiv-2.pdf39.57 KB